SUSTENTABILIDADE

Achei este conteúdo no site:  http://susanajanuario.blogspot.com/  e compartilho.

QUARTA-FEIRA, 25 DE MAIO DE 2011

A relação da agricultura com o meu ambiente

O que é meio ambiente? E o que é sustentabilidade?Outra palavra que está sendo usada com frequência em nosso meio, é a
palavra sustentável. Ou mais precisamente: desenvolvimento sustentável. É comum ouvir-se falar em sustentável e sustentabilidade como sendo sinónimos. Mostrar a diferença entre o significado destas duas palavras é um dos objectivos deste texto. Para facilitar a compreensão estudaremos os significados destas palavras associando-as a um sistema ou modelo concreto. Por exemplo, analisaremos o sistema ou o modelo de produção de alimentos – agricultura – e vamos ver qual significado de cada uma destas palavras tem, quando associadas a este sistema ou modelo.A AGRICULTURA E A HISTÓRIA DA HUMANIDADE

Quando os grupos humanos primitivos escolheram ficar em determinados
locais do ambiente por um tempo relativamente longo, eles tiveram que fazer
‘agricultura’, isto é, produzir seus alimentos.
Não é objectivo deste texto fazer um histórico da relação da humanidade com a agricultura, mas sim mostrar que os seres humanos sempre tiveram que alimentar-se de outros seres vivos, fossem eles cultivados ou criados pelos humanos ou não. Isto mostra a completa dependência da sociedade em relação ao ambiente e aos alimentos. Alimentar-se não é uma questão de escolha para as pessoas, é uma acção obrigatória, desde a antiguidade até hoje, até agora. E vai continuar sendo assim… É a condição humana!
Mas se sempre foi assim, qual é o problema então? Por que esse sistema ou
modelo de produção de alimentos não pode continuar sendo como sempre foi? O que aconteceu que estamos inventando novas palavras como ‘desenvolvimento sustentável’ e ‘sustentabilidade’? E por que estamos preocupados com o ‘meio ambiente’? A respostas para estas perguntas estão escondidas na história. E na história recente. Desde quando as pessoas começaram a fazer agricultura até uns 50 anos atrás os alimentos eram produzidos para ‘matar’ a fome. E é para isso que servem os alimentos. Todo o alimento que não é consumido volta para o ambiente como alimento para outros seres vivos. Não há resto. Não há lixo. É nas sociedades modernas, também chamadas de ‘sociedades económicas’ e ‘sociedades tecnológicas’ que os alimentos perdem sua real função de ‘matar’ a fome. Desde o início da Revolução Verde é que os alimentos ganham outra função. Sua nova função agora é dar lucro. Hoje, os alimentos não mais são produzidos para matar a fome; agora os alimentos são produzidos para dar lucro para as ‘pessoas jurídicas’. E principalmente para a indústria petroquímica que produz os adubos. Os agricultores, de produtores de alimentos, actividade da qual orgulhavam-se, passaram a produtores de matérias-primas destinadas às indústrias. A cadeia produtiva era simples. Os agricultores produziam alimentos para si e para as pessoas que viviam nas cidades. Agora a cadeia produtiva é complexa. O que os consumidores compram nos supermercados são produtos de baixa
qualidade, super processados, com tantas misturas que há dúvidas se ainda são 9 alimentos. Mas se não são alimentos, isso não importa. O que importa é que são modernos, limpos, bem embalados, práticos, prontos para o uso, etc. Alguns são até cancerígenos. Mas só são produzidos os alimentos que dão lucro. Agora, na sociedade moderna, os alimentos super processados não matam apenas a fome, matam também….
A produção de alimentos nas sociedades modernas é feita em grandes
quantidades e destina-se ao consumo em massa. Para tanto usa-se a propaganda para estimular o consumo ao máximo. O que se espera não é a saúde das pessoas, mas o consumo.
OS PROBLEMAS DO ATUAL MODELO DE PRODUÇÃO
a) Os problemas ambientais
O modelo de produção actual tem como pressuposto o uso intensivo de
tecnologia, como forma de manter o lucro na actividade. Não importa a que custo ambiental. Tudo o que não é de interesse humano ou que envolve gastos são considerados como externalidades do sistema de produção. Um
exemplo claro disso é o caso dos dejectos de suínos em nossa região. Existem
propriedades, e até mesmo municípios, em que não há como fazer uso de todos os dejectos produzidos pelos suínos. Ninguém pergunta, ou não quer perguntar: e tem água suficiente? Tem área suficiente para utilizar o esterco dos suínos como adubo orgânico? O mais fácil é não perguntar; perguntas incomodam. Como se diz, ‘o melhor é esquecer’. Mas o ambiente já dá sinais de colapso. O ecossistema do planeta Terra não consegue mais reciclar tantos produtos e tantas moléculas estranhas colocadas no ambiente. Se alguém provar que algo faz mal à saúde ou provoca degradação ambiental, isso é interpretado como um ‘não problema’.
b) Os problemas sociais
Tomemos a suinicultura como base para mostrar os problemas sociais que o
actual modelo de produção provoca. Para onde foram todos aqueles agricultores. Pode-se dizer que se eram pobres no meio rural passaram a miseráveis no meio urbano. A produção de suínos cresceu nesse mesmo período, embora com menos de um quarto dos agricultores.
Postado por Su às 07:35
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s