sustentabilidade-sebrae > Detalhe – Negócio de Sucesso

Fica lá em Casa

“Fica lá em casa” é o nome do site que vende hospedagem colaborativa

Sobre a empresa

Tempo de mercado: 10 meses

Ramo de atividade: hospedagem colaborativa

Localização: São Paulo (SP)

Espaços cadastrados : 180 (RJ e SP)

 

 

 

Números

A hospedagem colaborativa fica 80% mais barata comparado com diárias de hotéis 1anteriorproximo

Vanessa Brito

Hospedagem colaborativa é o negócio do site http://www.ficalaemcasa.com.br  Anfitriões e hóspedes se cadastram no empreendimento digital e agendam os períodos em que vão ficar nos espaços disponibilizados por proprietários de casas e imóveis. O preço das diárias é combinado entre eles e o site é remunerado pelo hóspede (12%) e anfitrião (3%), de acordo com o valor. A hospedagem colaborativa fica 80% mais barata do que em hotéis e pousadas. Serviços como café da manhã, acesso a internet, lavanderia, entre outros, são combinados entre anfitriões e hóspedes diretamente.

O empreendimento digital Fica lá em Casa está no mercado há apenas dez meses e já possui 180 espaços cadastrados, principalmente na cidade do Rio de Janeiro e na capital paulista. Entre eles, há quartos, suítes, casas na praia ou de campo, quintais e até sofá na sala do anfitrião cadastrado.  Cinquenta e cinco por cento são casas e 45%, espaços ociosos. A hospedagem colaborativa fica 80% mais barata em relação aos hotéis.

Até o momento, a maioria dos hóspedes do Fica lá em Casa é de brasileiros. A internacionalização da clientela deverá ocorrer, a partir do próximo ano, segundo Leandro.  “No consumo colaborativo a posse é substituída pelo uso compartilhado, evitando a exploração de recursos naturais”, explica. A construção de novos hotéis e pousadas significa pegadas ecológicas enormes, isto é, emissão de gases de efeito estufa , observa o empresário. A construção civil é responsável por 40% dos impactos ambientais no planeta, lembra.

Ganho cultural

Além do aspecto ambiental, Leandro destaca que a hospedagem colaborativa é vantajosa em termos culturais para ambos os lados. O anfitrião propicia experiência inédita ao hóspede, que pode conhecer a rotina de um lar brasileiro. Além da renda extra, a convivência com o turista de outra região ou país poderá significar ganho cultural para o anfitrião.

Desde o lançamento do empreendimento digital, o número de espaços cadastrados cresceu 120%. Eles estão nas regiões sudeste, sul, nordeste e centro oeste. O Rio é destino campeão, informa Leandro.  A maioria dos hóspedes está na faixa etária próxima de 30 anos e são universitários. Há, também, pessoas com cerca de 50 anos, que gostam da proposta da hospedagem colaborativa.

A meta do empreendimento digital é aumentar o número de cadastrados em 200%, até o próximo ano. A segurança do anfitrião e do hóspede é a grande preocupação do negócio. Comunidades com perfis e afinidades começarão a ser construídas no site por meio de técnicas, que minimizarão problemas, diz o empresário. O depósito das diárias é realizado 24 horas antes da hospedagem e, em  caso de não agradar o hóspede, o dinheiro é devolvido.

A validação da reserva é feita por meio do perfil no facebook, twitter e pay pall.  Anfitriões e espaços recebem notas no site e geram reputação na internet. O termo de uso é assinado e validado por meio de celular e via correio. Esse empreendimento é pioneiro no Brasil, segundo Leandro, que pensa em agregar parceiros de serviços no futuro. (www.ficalaemcasa.com.br  )

 

Compartilhar

0

viasustentabilidade-sebrae > Detalhe – Negócio de Sucesso.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s