Como descartar celulares, remédios, vidro, móveis e mais – Nexo Jornal

Como descartar celulares, remédios, vidro, móveis e maisCamilo Rocha 10 Ago 2016 (atualizado 12/Ago 20h04)O lixo deixou de ser um problema nosso apenas dentro de casa. Veja aqui como destinar corretamente diversos itensFOTO: SERGIO MORAES/REUTERS COOPERATIVA DE RECICLAGEM EM PINHEIROS, SÃO PAULO “Joga fora no lixo”, já dizia Sandra de Sá. Mas, em termos de resíduos, o que era aceitável nos anos 80 já não vale mais. O lixo da casa não pode mais ser encarado como aquele recipiente que de tudo aceita. Da mesma forma, não se pode mais pegar aquele sofá ou televisor antigo e confiar no carroceiro que passa na rua como opção de destino. O lixo deixou de ser um problema nosso apenas dentro de casa.Entre 2003 e 2014, a geração de lixo no país cresceu 29%, quase cinco vezes a taxa de crescimento da população no mesmo período (6%). Os dados foram divulgados em 2015 pela Abrelpe (Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais). A destinação de todo esse lixo está longe de ser adequada: pouco menos de 60% vai para aterros sanitários, o restante indo para lixões que não realizam o tratamento correto do material. De acordo com a proposta da Política Nacional de Resíduos Sólidos, que acaba de completar seis anos do seu lançamento, os lixões de todo o país teriam que ser desativados até 2014. A maior parte dos municípios não conseguiu cumprir a meta e o Senado votou em 2015 uma prorrogação do prazo para 2018.Serviços de reciclagem, solução para boa parte dos resíduos, ainda estão restritos a uma minoria. De acordo com pesquisa do Cempre, o Compromisso Empresarial para a Reciclagem, cerca de 85% dos brasileiros não tinha acesso a serviço de coleta seletiva e pouco mais de mil cidades (de um total de 5.570) contavam com estrutura de reciclagem de lixo.Ainda assim, é muito mais fácil encaminhar de maneira correta o que não queremos mais em casa. Cresceu muito o número de opções de destinação correta de resíduos, especialmente nas cidades maiores. Englobados aí estão cooperativas regularizadas de catadores e destinação, ecopontos municipais (locais que aceitam quase todo tipo de resíduo), ONGs assistenciais, iniciativas privadas de coleta e empresas especializadas que oferecem serviços de recolha pagos. O primeiro passo na destinação de um item usado é uma pesquisa na internet por algumas dessas alternativas. O Nexo preparou um pequeno guia com orientações para algumas categorias de lixo.FOTO: SERGIO MORAES/REUTERS  EletrônicosDe dez anos para cá, só faz aumentar o número de computadores, celulares, televisores e tablets aposentados. Com isso, ganhou evidência o imenso problema representado pelo lixo eletrônico. Além do volume maior de objetos descartados, muitos dos aparelhos contêm metais e produtos químicos prejudiciais ao meio ambiente e a quem os manipula sem o devido cuidado. A oferta de serviços de destinação para o lixo eletrônico, pagos ou gratuitos, privados e públicos, aumentou bastante nos últimos anos, de cooperativas a empresas particulares, incluindo diversos fabricantes. Vale também procurar serviços municipais no site da sua prefeitura. A maior parte dos municípios brasileiros, porém, ainda não conta com coleta de lixo eletrônico: apenas 724 de um total de 5.570.EletrodomésticosQuando compramos uma máquina de lavar ou televisor novo não costumamos pensar no destino do aparelho que será substituído pela nova aquisição. Depois, entretanto, ele se torna um incômodo trambolho na decoração e é necessário lidar com ele. Se ainda estiver funcionando, e se você não tiver interesse em vender, a primeira opção a considerar deve ser a doação. Ninguém conhecido quer? Tente alguma instituição que recolhe esse tipo de objeto, como por exemplo o Exército da Salvação ou as Casas André Luiz. Se o aparelho antigo estiver fora de combate, ele ainda assim é aceito por diversas instituições. Vale conferir também se o fabricante do produto antigo conta com um esquema de destinação de modelos usados. Em determinadas cidades, algumas empresas proporcionam pontos de coleta.Pilhas e bateriasA legislação permite jogar alguns tipos de pilha no lixo, como as comuns e alcalinas, as de níquel-metal-hidreto (NMH) usadas em celulares e as de lítio usadas em relógios, calculadoras etc. Por outro lado, pilhas e baterias de chumbo (como as de automóvel), níquel cádmio (as recarregáveis) e com mercúrio (usadas em relógios, calculadoras e brinquedos) tem de ser destinadas de modo adequado. Esses elementos podem ser prejudiciais ao meio ambiente, infiltrando o solo ou o lençol freático, ou mesmo para quem entra em contato com eles sem proteção. Hoje em dia é muito fácil se livrar de pilhas e baterias velhas: inúmeros supermercados, farmácias, lojas de operadora de celular ou postos de assistência técnica de fabricantes recebem esse tipo de item. Quanto à bateria de carro antiga, estabelecimentos que as comercializam são obrigados a aceitar itens usados de volta, segundo resolução do Conselho Nacional de Meio Ambiente.  R

Fonte: Como descartar celulares, remédios, vidro, móveis e mais – Nexo Jornal

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s